Adelina Apresenta: #MãosQueFazem com Carolina Peraça

A série #MãosQueFazem foi criada pela Adelina para que você possa descobrir um novo jeito de olhar para a produção artesanal e sentir o carinho através das coisas – por meio dos bastidores do gesto criador, conhecendo um pouco mais de quem está por trás dos objetos que você encontra na Adelina Loja.

Hoje você nos acompanha em uma visita virtual pelo ateliê da ceramista Carolina Peraça, na qual contamos sobre todo o caminho de seus lindos objetos cerâmicos: desde o barro até sua finalização! 

Carolina se apaixonou pela cerâmica durante o curso de Foundation in Art and Design na Central Saint Martins College of Art and Design, que experimentou ao se mudar para Londres, em 2007, na mesma instituição na qual veio a se formar em Ceramic Design.

8800

Em 2014, abriu seu estúdio em Porto Alegre, onde as peças são desenhadas e criadas através do torno ou moldes – que vamos visitar hoje!

Uma característica forte dos seus trabalhos é que cada peça é única. Seja no contraste das cores e esmaltes ou até mesmo nas variações de superfície das peças, Carolina apoia seu trabalho em três pilares: a beleza, simplicidade da forma e funcionalidade.

O ponto de partida dos objetos de Carol é a cerâmica. O processo criativo começa na escolha das massas – maleáveis e cheias de água, cada tipo de argila contém seus próprios compostos químicos que ditam a maleabilidade do material na hora de trabalhar e também depois são eles que vão dar cor e textura à peça!

Para os pinch pots, inicia com uma pequena quantidade de massa e vai apertando, puxando e esticando a massa até dar a forma – controlada inteiramente pelo movimento das mãos, pressão entre os dedos, de maneira que, quando prontos, cada um deles guarda um registro íntimo daquele gesto criador:

Para a finalização, uma esponjinha com água move as partículas da massa de argila de um lado para o outro e cria uma superfície mais lisa do que a marcada pelas digitais, sem apagar a espessura e as marcas dos dedos.

Da mesma maneira as colherezinhas são modeladas à medida da mão, coordenadas pelo gesto, uma à uma, e, por isso, são tão únicas: à pesar das mãos serem sempre as mesmas, cada apertar é um, um pouquinho mais de pressão, um pouquinho menos de água na massa: até a temperatura do dia influencia em como vão ficar!

Para os pratinhos, o processo é outro: Agora, com porcelana, mais clara e delicada, a ceramista usa um rolo de massa e guias de madeira para dar a finíssima espessura – e em um embate com a matéria prima cria a forma, que carrega em si tanto da mão de Carol quanto da vontade da própria porcelana e seus recortes naturais. Depois, com um carimbo, inscreve uma à uma as letras.

Depois de modeladas, inscritas e torneadas, as peças vão para o forno para uma primeira queima, em baixa temperatura, para evaporar toda a água – nesse processo, o objeto sofre uma redução de volume e sua primeira transformação de cor.

Com as peças agora totalmente sem água, Carolina esmalta-as, uma à uma, com esmaltes cerâmicos que são muito diferentes de tintas: uma mistura de água e compostos químicos, os esmaltes são um pó depositado sobre a peça até que passem pela queima de alta temperatura, na qual por meio de uma transformação térmica, química e física ganham o aspecto que conhecemos, cores e brilho. Uma vez esmaltados, os objetos retornam ao forno, dessa vez para essa queima de alta temperatura! Que, além de promover as transformações necessárias para o esmalte, também enrijecem a cerâmica e trazem à tona sua cor natural.

E, finalmente, estão prontas! Ou quase. É somente ao abrir o forno que a ceramista conhece o resultado final de seu trabalho – que depende de muitos agentes que colaboram, como o calor e a umidade!

E, por isso, cada objeto é único: as vezes, alguns graus a mais ou a menos na hora da queima podem deixar a peça mais clara, mais escura e até com tons avermelhados!

Ainda depois da queima, Carol adiciona os toques finais que transforma completamente suas peças – e dá um toque ainda mais especial, cuidadoso e atencioso à tudo!

Com ouro ou com suas características alças de couro natural, o trabalho de Carolina Peraça é inteiro marcado pelo gesto! O gesto da designer ao criar, e o gesto sugerido em suas formas, que só de olhar já queremos pegar e trazer para perto – e quase podemos sentir o carinho que carregam, além do design único que tornam seus objetos reconhecíveis em qualquer canto do mundo!

E aí, gostou de conhecer o ateliê dela de pertinho? Aproveite pra conhecer mais do trabalho incrível da designer no site da Adelina e se apaixone por esse trabalho cheio de beleza e simplicidade, que vai trazer para o seu dia-a-dia todo o cuidado e amor que habita em cada vaso, colher, xícara e bowl.

Todas as fotos foram feitas pelo fotógrafo Claudio Fonseca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.